sábado, 17 de julho de 2010

Irma Peredne - ABELHAS DAQUI, ABELHAS DE LÁ



Olá de novo, abelhinhas! Hoje vamos conhecer uma scrapper especial, que alia arte e romantismo com muita originalidade: Irma Peredne.
A Irma é de origem lituana e foi para os Estados Unidos com sua família aos 11 anos, e lá se casou, teve filhos e mora até hoje. Seu estilo é eclético, com um peso maior para o shabby chic de cores outonais suaves, sempre com belíssimas fotos e um journalling especialmente tocante. No LO Delivery aí em cima, ela retratou os momentos dos partos dos seus dois meninos, e é impressionante ver o rosto mais preocupado da mãe de primeira viagem na primeira foto e o rosto mais tranquilo e confiante na segunda foto, do segundo filho.


Em Relic, ela mostra a foto antiga de um escorregador de elefantinho em que brincava quando ainda morava na Europa (em cima), e a mais recente de uma visita quando já era mais velha. Observem a escolha  do papel de elefantes e do botão de elefante!



Este LO duplo, A Train to America, é o meu favorito: aqui ela narra como, depois do exílio na Sibéria e de anos tentando a emigração para os Estados Unidos, a família dela finalmente a conseguiu, mas foi obrigada a sair de um dia para outro, deixando tudo o que tinha para trás. Vale a pena dar um clique para ver mais de perto como a escolha dos papéis e elementos se harmoniza com perfeição à história, sem falar nas preciosas fotos antigas.



Este LO, I Catch Light, foi uma tarefa da conquista do Creating Keepsakes Hall of Fame em 2008, e mostra a face mais moderna da Irma, que é uma fotógrafa de mão cheia.



Em To Be a Mother, o jeito mais clássico da Irma: as cores suaves, a composição original, a marca artística na máscara feita com uma toalha de crochê de verdade!

E uma pequena entrevista que ela concedeu às Five Bees:

1) Como você acha que sua herança europeia influencia seu scrap?

Ela me fornece um repertório mais profundo de experiências e vivências para utilizar quando conto minhas histórias nos layouts de scrap. Os primeiros 11 anos da minha vida, vividos na Lituânia comunista empobrecida, foram um duro contraste com os maiores confortos materiais dos Estados Unidos. Ainda sinto um laço com meu país de origem e questiono bastante se foi meu destino imigrar para os EUA, pois essa mudança foi escolhida para mim por meus pais.
Eu me sinto espiritual e emocionalmente um pouco desenraizada até hoje. Me lembro vividamente da minha vida lá, embora às vezes me pareça um sonho. Fazer scrap sobre minha infãncia em meu país de origem dá raízes às minhas memórias. É um lembrete visual de que eu vivi lá e de que aquelas experiências foram reais.
Os pontos positivos de vir para os EUA foram encontrar pessoas de maior diversidade cultural, e como resultado, um pedacinho de diferentes culturas e seu estilo entram em minhas páginas de scrap.

2) O journalling é uma parte bastante forte nos seus layouts. Como ele se encaixa no seu processo criativo?

Honestamente, as palavras apenas fluem para fora de mim, como na resposta à pergunta acima (eu tive que me refrear para não escrever uma resposta mas longa). Eu ficava repetindo pra mim mesma o pedido da Bi Medeiros de uma "pequena entrevista" Rsrsrs!
O journalling é a última coisa que coloco na página. Geralmente, eu uso um espaço restrito, como uma tag, um journalling block ou semelhante. Quando o espaço é limitado, eu me forço a parar de escrever. É uma coisa boa, porque eu posso escrever páginas sobre a beleza dos cílios:D!
Algumas histórias são muito importantes e devem ser registradas em detalhes, e aí eu digito um texto e o escondo em uma página de protetor de fotos atrás do layout. Geralmente, eu coloco uma lingueta com a inscrição "puxe" na parte de cima, para que o leitor saiba que existe um journalling oculto atrás do layout.

3) Em que materiais e técnicas você está mais interessada agora?

A costura manual e à máquina sempre estarão presentes nas minhas páginas. Adoro texturas e detalhes feitos à mão.
Estou sempre experimentando novas técnicas e estilos, tanto que tenho dificuldade em definir meu próprio estilo. Hoje chamo meu estilo eclético de ESPM (Estilo da Síndrome da Múltipla Personalidade).
Ultimamente, tenho sido mais corajosa no uso das cores mais vivas em meu trabalho (como na página Delivery x2). Sem dúvida infouenciada pela comunidade de scrappers brasileiras. Posso estar generalizando, mas notei as cores vivas, brilhantes e felizes em muitas páginas brasileiras. É como eu observei a cultura brasileira: brilhante, colorida e feliz, em contraste com a escolha de cores das lituanas. Isso foi uma conquista para mim - que a cultura de uma pessoa tem um impacto tão profundo, mesmo sobre as cores que ela escolhe para suas páginas.

Espero que tenham curtido conhecer a Irma!

Muitos beijos e até a próxima!

Bi Medeiros e Five Bees

6 comentários:

NANA R NASSAR disse...

Obrigada pela dica desta nova scrapper...nova pra mim que não a conhecia... fui ao blog dela e ela tem coisas lindas!

Keylla Góes disse...

Olá abelhinhas!
Eu adoro o blog de vocês.
Nossa que scrapper maravilhosa, um ótimo trabalho essa entrevista.
A irma Peredne é muito talentosa, e bastante observadora, ela já percebeu que a maioria de nós scrapper brasileira somos muito felizes, e passamos essa felicidade toda em nossos trabalhos atráves das cores.Somos previlegiadas por morar em um País tão lindo, rico em culturas.
Ganhei o domingo vindo aqui conferir essa postagem.
beijos.

Irma disse...

Thank you Bi Medeiros and my fellow brazilian scrapbookers for this opportunity to share my work with you! You all inspire me so much!

Andrea disse...

Fiquei encatada e emocionada com o trabalho e entrvista da Irma!!!! Parabéns pela escolha infinitamente inspiadora meninas!!! Agora vou correndo no blog da Irma!!! Bjussssssss.

LucianaW disse...

Oi meninas...valeu trazer esta super scrapper para mais perto de nós!!!
Lindos trabalhos!
Bjs e Feliz Dia do Amigo para todas vcs!!!!

Patiscrap disse...

Oi meninas, tb adorei conhecer esta super scrapper, os trabalhos dela são lindíssimos mesmo, né! Obrigada pela dica! Bjs!